c O MALEFÍCIO DO GLUTAMATO MONOSSÓDIO

O MALEFÍCIO DO GLUTAMATO MONOSSÓDIO

GLUTAMATO

Um assassino silencioso  muito pior sua saúde que álcool, nicotina e muitas drogas se esconde em sua cozinha  é o glutamato monossódico.

O glutamato monossódico é um dos piores aditivos alimentares no mercado e é usado em sopas enlatadas, biscoitos, carnes, saladas, salgadinhos, refeições congeladas e muito mais.

Ele melhora o aroma e sabor dos alimentos, é um quinto sabor chamado umami, você pensa que o alimento tem mais proteína e gosto melhor.

É encontrado em restaurantes e supermercados, nas lanchonetes, nas escolas e na comida de bebê e em fórmulas infantis.

O MSG (glutamato monossódico) cria um sabor diferenciado de característica suave, rico e encorpado e pode ser adicionado em carnes, peixes, frangos, vegetais e frutos do mar, sendo que em muitos países é usado como tempero de mesa.

O glutamato monossódico libera a acetilcolina, substância química estimulante da função muscular e age como inibidor da absorção de glicose por parte das células cerebrais.

O termo cientifico excitotoxicidade ocorre quando aminoácidos (as unidades componentes das proteínas)  podem causar a morte de neurônios por excesso de excitação.

Houve uma tentativa quanto ao conceito de excitotoxicidade, porém surgiram divergências quanto à conveniência de proibir aditivos alimentares com excitotoxinas, como o glutamato monossódico (MSG), decorrente da indústria alimentícia esse aditivo não foi proibido.

Demonstrou-se que o glutamato monossódico quando ministrado oralmente em ratos e macacos elevam o glutamato no sangue e isso provoca lesões no hipotálamo, região situada no cérebro com muitos núcleos fisiologicamente importantes.

O glutamato é um ácido aminado abundante na proteína que funciona como neurotransmissor excitativo, isto é quando liberado por um neurônio, excita outras células nervosas.

Se, porém, houver excesso, o estímulo pode ser tão forte que acarreta a morte do neurônio excitado.

O glutamato monossódico é adicionado nos alimentos para acentuar o seu sabor.

Esses realçador  de sabor colocado em muitos alimentos pela indústria alimentícia e também muitos restaurantes estão usando estes realçadores de sabor em grandes quantidades.

O resultado é milhões de Reais da indústria que parece dedicada à  destruição da nossa saúde.

Os consumidores ainda estão sendo tomadas pelo  prazer gustativo desse sabor e mal sabem os riscos e danos que estão sofrendo.

A indústria produtora das excitotoxinas  desacredita  as pesquisa que mostram os danos glutamato monossódico e aspartame  e seus danos ao cérebro.

Uma criança de 10 kg poderia receber dose muito próxima da tóxica, de 1 g ou pouco mais de glutamato monossódico, numa porção de 160 g de sopa em cubinhos.

Estudos mostram que o glutamato de monossódio pode provocar, em ratos, lesões hipotalâmicas causadoras de obesidade ou retardo de crescimento.

Isso se estende ao aspartame como adoçante para crianças.

A toxicidade o glutamato monossódico  pode causar:
- Hepatotóxico, causa danos ao fígado,
- Ondas de calor e face vermelha,
- Doença de Alzheimer,
- Crises de enxaqueca,
- Distúrbios gastrointestinais (mal estar gástrico, azia, gastrite, flatulência, paladar amargo, etc.),
- Dano ocular,
- Síndrome do restaurante chinês que surge com cefaléia, mal estar gástrico, palpitação e embotamento, sudorese, aperto no peito e palpitação, isso ocorre em 20 minutos após a sua ingestão em pessoas sensíveis a ele.
- Fadiga e letargia,
- Desorientação,
- Depressão,
- Vertigens,
- Obesidade,
- Transtorno de déficit de atenção,
- Perda de sensibilidade ou sensação de formigamento,
- Confusão mental,
- Esclerose múltipla,
- Distúrbios Bipolar,
- Perda de memória e cognição,
- Distúrbios do sono,
- Síndrome das penas inquietas,
- Doença de Parkinson,
- Esclerose lateral amiotrófica.

Pesquisas científicas
Pessoas que utilizam o glutamato monossódico, comercialmente conhecido por várias marcas, para realçar o sabor dos seus alimentos, estão mais propensas do que pessoas que não o utilizam a ficarem acima do peso ou obesas, mesmo que tenham o mesmo nível de atividades físicas e de ingestão total de calorias, de acordo com uma pesquisa feita na Universidade de Carolina do Norte, nos Estados Unidos, e publicada no jornal Obesity.

Micro injeções de glutamato monossódico no hipocampo de rato adulto o resultado em danos marginais aos neurônios locais.

Removendo aferências glutamatérgicas de células granulares do hipocampo, tornando os  últimos marcadamente mais vulneráveis a uma injeção de MSG subsequentes.

O princípio da modulação de efeitos tóxicos do MSG interfere no papel de neurotransmissores podem ter um impacto significativo em nossa compreensão do ser humano das doenças neurodegenerativas.

Tratamento de ratos neonatal, com grandes doses repetidas de glutamato monossódico (MSG) produz uma síndrome de obesidade e disfunções endócrinas geralmente atribuídas a uma lesão do hipotálamo.

O glutamato monossódico (MSG) foi administrada por via subcutânea em camundongos machos adultos, durante 6 dias.

Mostraram aumento significativo no conteúdo de lipídios no fígado total, fosfolipídeos, triglicerídeos e ácidos graxos livres, 31 dias após a última injeção.

Estas observações são sugestivas de que o metabolismo de carboidratos é deslocado para a lipogênese e, consequentemente, leva a hiperlipidemia.

A dieta hipercalórica e administração de glutamato monossódico induzido alterações na taxa metabólica de utilização da glicose e diminuiu as defesas antioxidantes.

Portanto, a mudança da glicose hepática induzida pela ingestão de dieta hipercalórica  e administração glutamato monossódico  foram associados com estresse oxidativo em tecido hepático (ver em Medicina Ortomolecular – perguntas e respostas).

Os resultados de pesquisas indicam que os antioxidantes dietéticos têm função protetora contra o estresse oxidativo induzido pelo glutamato monossódico.

A administração neonatal de doses neurotóxicas de glutamato monossódico (MSG) em ratos provoca necrose neuronal do hipotálamo, juntamente com as anomalias de comportamento.

Significativa redução da evasão de aprendizagem ativa desempenho foi observado nos ratos tratados que recebiam o glutamato de monossódico (MSG) no período de aprendizado (aquisição).

Os resultados indicam que a exposição a MSG no início da vida nos ratos podem levar à sutis aberrações comportamentais na idade adulta.

Estudos  indicam que o estresse oxidativo produzido por glutamato monossódico nas regiões vulneráveis do cérebro podem persistir por períodos prolongados e poderia ser um dos mecanismos de neurotoxicidade resultando  em neurodegeneração crônica.

Embora a Food and Drug Administration (FDA) aprovou o aspartame para uso rotineiro (exceto em pacientes com fenilcetonúria), seu potencial de toxicidade permanece controverso .

Uma pesquisa científica descreve o primeiro caso confirmado de paniculite granulomatosa induzida pelo aspartame.

ALIMENTOS QUE USAM GLUTAMATO MONOSSÓDICO
Tome cuidado com:
-  Os molhos de tomate,
-  Sopas prontas,
-  Shoyu,
-  Mortadela,
-  Salsicha,
-  Linguiça e outros embutidos,
-  Aves já temperadas,
-  Hambúrguer,
-  Empanados,
-  Salgadinhos vendidos em supermercados,
-  Molhos em potinhos,
-  Temperos prontos em geral,
-  Sal light,
-  Aji-no-moto,
-  Sazon,
-  Cubinhos de temperos de carne, etc.

Fique longe desses alimentos se quiser ter saúde e afaste seus filhos dos salgadinhos embalados.

Não use alimentos que contenha esse produto, pois sua concentração nos alimentos Brasileiros são muito acima do que rege a legislação européia, no Brasil já foi encontrado em doses de 65 gramas por quilo de alimento, enquanto que a dose máxima permitida na Europa é de 10 gramas por quilo de alimento, tornando esses alimentos mais nefasto ainda.

Geralmente os alimentos que usam esses aditivos são para disfarçar sua baixa qualidade.

A sua reação a esse aditivo fraca ou forte vai depender de sua sensibilidade à ele,  25%  a 30% da população americana é sensível de diversas formas a esse produto.

Use temperos frescos não industrializados, temos tantas ervas saborosas no Brasil não há necessidade prática de usar produtos cheios de aditivos quimicos tóxicos em nosso prato diariamente.

A boa saúde está diretamente relacionada aos bons hábitos alimentares tudo depende se suas escolhas alimentares.

Dr. Carlos Roberto Medeiros Lopes       23/06/2008

Nenhum comentário ainda.

Deixe um comentário